Comunidade Sinagoga sem Fronteiras

A Quarta Yeshivá do Sertão - Depoimento Yaacov B.

A QUARTA EDIÇÃO DA YESHIVÁ DO SERTÃO

Quando se pensa em mocidade é normal o ser humano que já vivenciou esse período da vida, refletir sobre sua própria existência viril que não voltará jamais. Assim pode vir à mente o vigor físico, a energia e todas as façanhas que foram experienciadas. Mas, como pensar a juventude a partir da poética pragmática de Salomão? “Lembra-te de teu Criador nos dias de tua juventude [..]” Cohélet 12.1 Nessa perspectiva juvenil e pujante, lembrar-se do Criador é descobrir o próprio potencial e conectá-lo para se evoluir e transformar o mundo. É descobrir-se e estender as mãos para o mundo próximo. É saber que está vivo e grandioso no tempo contemporâneo, que é possuidor de grandiosidade da juventude heroica, que é merecedor de pertencer ao domínio de uma epopeia no começo da vida humana. Está na juventude é ser gigantesco, é ter magnitude fora do normal, é ser extraordinário e memorável, é está pronto para proeza épica na brevidade da vida fortuita. Mas, como conectar todas essas dádivas de Hashem para cumprir sábia e honrosamente essa gigante fase da vida humana?

Para a juventude sefardita brasileira tal façanha também emana do Movimento Zera Israel. E, por falar nesse movimento, tem-se de pensar no Rabino Gilberto Venturas. E, é aqui que entra o gigante Projeto da Yeshivá do Sertão liderado pelo Rabino Gilberto Venturas e sua esposa – Rabanit Jacqueline Venturas. Esse projeto é de suma importância para todos nós, pois são os nossos jovens judeus que darão continuidade ao judaísmo de raiz no Brasil e no mundo. Assim, é prioritário que no Movimento Zera Israel todas as comunidades tenham uma atitude acolhedora e juntos, todos devem trabalhar para o engrandecimento desse projeto, visto que preparar e qualificar a juventude judaica é essencial para o fortalecimento e crescimento de nosso povo. E, por isso, eles também precisam ter um ensino de qualidade com aprendizagem prática e teórica nos ditames do processo civilizatório do nosso povo no decurso da história humana.

E, de certo, eles já têm, pois eles contam com um casal altamente capacitado e qualificado. E, os nossos jovens aprendizes já estão a se beneficiar com métodos de ensinos práticos e arrojados inovadores e, aliados com facilidade à teoria epistêmica de alto nível de aquisição cognitiva. Essa é a essência do ensino-aprendizado do nosso povo ao redor do mundo – preparar os nossos jovens com a prática vivenciada nas comunidades.

Sendo assim, um dos objetivos da Yeshivá do Sertão é despertar essa força vivaz e primaveril dos jovens, orientando-os com estudos teóricos de vivência judaica, cultura, hebraico, a milenar história de nosso povo bem como do atual Estado de Israel, sem jamais se olvidar da Torá. É um preparo para novas gerações de líderes que construirão um judaísmo autêntico e humano com histórias vencedoras.

Nossos jovens estão a sonhar alto e querem construir com a ajuda de nossas comunidades – um judaísmo sem preconceitos e bem perto de todos. Cabe aqui citar o escritor francês Antoine de Saint-Exupéry – “Na vida, não existem soluções. Existem forças em marcha: é preciso criá-las e, então, a elas seguem-se as soluções. ” Logo, é bem isso que esses jovens judeus compreenderam e começaram a articular forças para superar suas dificuldades e solucionar problemas e necessidades comuns a todos.

Para tanto, os desafios estão sendo vencidos coletivamente pois a Yeshivá do Sertão é um empreendimento gigante que está a construir um judaísmo mais eficaz e, os frutos estão sendo colhidos na coletividade. Embora, para quem sabe, os desertos estão sendo vencidos, pois a cooperação é o sangue que bombeia a solução dos problemas. Saint-Exupéry afirma que – “O que torna belo o deserto, é que ele esconde um poço nalgum lugar[…]”. Pois bem, se no coração do deserto há esperança de oásis que podem salvar vidas, na Yeshivá do Sertão haverá sempre um espírito comunitário pois todos verão que nos desertos e conflitos que surgem, haverá sempre poços e oásis – basta apenas ter uma visão de comunidade e, jamais perder as oportunidades. Nosso Pai Isaque jamais desanimou e, mesmo que seus inimigos continuavam a entulhar os poços que ele cavava, ele nunca desistiu e continuou a cavar até que encontrou sossego, paz e prosperidade.

Enfim, todos unidos, os desertos serão apenas uma experiência para o amadurecimento, pois os poços logo estarão tão pertos. Esses jovens e futuros líderes do Movimento Zera Israel, além de terem uma sapiência jurássica, possuem um espírito elevado e iluminado e, são capazes de empreender, de criar e unir forças para que seus sonhos e objetivos sejam alcançados e, portanto; precisam da ajuda de todas as comunidades do Brasil. Eles são a mão visível das próximas gerações do judaísmo na sociedade planetária.

Yaacov B.